Sergipe

15/10/2015 às 11h16

Agentes do Cenam paralisam atividades por falta do ticket alimentação

Redação Portal A8

Os agentes de segurança do Centro de Atendimento ao Menor, Cenam,  paralisaram as atividades nesta quinta-feira (15). Os agentes alegam que houve suspensão do tiket alimentação. Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes de Segurança das Unidades Socioeducativas de Sergipe (SINDASSE), Clichardson Santos Libório, a Fundação Renascer descumpriu um acordo feito em 2012 entre a secretaria de Segurança Pública e o Ministério Público que garantia o vale alimentação.

Além dessa suspensão, o presidente do Sindasse denuncia ainda que a fundação vem fazendo a terceirização de funcionários dentro da unidade de medidas socioeducativas. Ele informou que essa terceirização foi proibida em 2006 com uma ação civil pública do Ministério Público do estado. Existem cerca de 60 funcionários da Bahia contratados de forma ilegal, e nesta quinta-feira (15) foi feita a contratação de pessoas do Complexo Penitenciário Jacinto Filho.

Clichardson Santos - presidente do SINDASSE

“Isso é usurpação da função dos agentes de segurança”, reclama o presidente. Hoje em média existem 120 agentes de segurança do Cenam.  Eles realizam uma paralisação de advertência como forma de protesto, caso a fundação não forneça o vale alimentação e retire todos os contratados eles decidirão pela greve.

Segundo o agente de segurança Edízio Vidal, eles não querem perder algo conquistado. “ Hoje de forma desrespeitosa, foi retirado o nosso tiket alimentação, esse valor é para cada dia de trabalho, então ficamos sem o direito de se alimentar”.

Somente feitas atividades emergenciais como o posto de saúde e audiências estão sendo realizadas.

Fundação Renascer

A Fundação Renascer se pronunciou através de nota:

Quanto ao atraso no repasse de benefícios como o ticket alimentação e vale transporte, é preciso destacar que o contrato com a empresa Green Card, antes responsável por realizar este procedimento, foi suspenso pela Fundação Renascer. Com o fim dessa parceria administrativa, todos os honorários que antes eram repassados por meio da empresa junto aos trabalhadores serão incorporados nos salários, inclusive, com retroativo a este mês de setembro. Sendo assim, todos os débitos ainda existentes serão atribuídos até o próximo dia 31. A mudança desta forma de pagamento foi comunicada pela presidência da Fundação Renascer durante diálogo realizado com alguns agentes na sede do órgão estadual.

No que se refere às atividades operacionais possivelmente inviabilizadas pelos 52 agentes que aderiram ao movimento, já estão sendo promovidas por socioeducadores aprovados no último Processo Seletivo Simplificado (PSS) que foi realizado no primeiro semestre do ano passado. O PSS foi devidamente acompanhado pelo poder judiciário em Sergipe e contratou 50 especialistas por um período de até dois anos. Paralelo a este efetivo, 17 especialistas contratados para realizar a qualificação socioeducativa nas unidades CENAM e USIP permanecem cumprindo escala de plantão com o propósito de inviabilizar qualquer probabilidade de desordem pública. Para compor a escala de plantão uma tropa de intervenção composta por 13 profissionais chegou nesta manhã ao Estado de Sergipe e estão à disposição do Governo do Estado de Sergipe, assim como a Polícia Militar, por meio do Batalhão de Choque, da Rádio Patrulha e da Companhia de Polícia Rodoviária (CPRv).