Sergipe

15/10/2015 às 09h51

Polícia desarticula quadrilha de tráfico de drogas em Itabaiana

Redação Portal A8

A Polícia Civil com apoio da Polícia Militar desarticulou uma organização criminosa responsável pelo tráfico de drogas no município de Itabaiana, agreste sergipano. Cinco pessoas foram presas, entre elas um menor e uma mulher, na noite desta última quarta-feira (14).


A polícia chegou até a quadrilha através de denúncia realizada pelo número 181. O bando era liderado por um homem identificado como Batista, residente da cidade de Itabaiana. Os outros membros eram oriundos do município de Jeremoabo, na Bahia.


Segundo a polícia, Batista recrutou o grupo baiano para praticar homicídios em Sergipe com a intenção de dominar o tráfico na região. “A sucessão criminosa era capitaneada por Batista residente do município de Itabaiana. Ele regimentou quatro pessoas do município de Jeremoabo, que colocou dentro da casa dele, usando esse lugar como verdadeiro esconderijo desses criminosos”, afirma o delegado Marcelo Hercos.


“Esse grupo de Jeremoabo chegou em Itabaiana nos últimos dias e Batista fornecia todo material logístico. O grupo executava as ações de homicídios contra outras traficantes da região. Os crimes aconteciam por disputa de território no tráfico de drogas”, completa o comandante do 3º Batalhão da PM, Reinaldo Chaves.


De acordo com a polícia, a quadrilha é suspeita de assassinar um casal que trafegava em um ciclomotor, no bairro Mutirão, em Itabaiana, no último domingo (11). As investigações apontaram que o grupo planejava cometer um novo homicídio na noite desta última quarta-feira.


O grupo foi preso em flagrante na residência de Batista, que já tem passagem pela polícia por roubo e é ex-presidiário. No momento da prisão, os policiais ainda encontraram, em uma parede com um fundo falso, 5kg de maconha, tocas, balança de precisão e cinco armas; uma escopeta calibre 12, duas pistolas 380 e duas armas calibre 38.


Os policias também encontraram medicamentos em posse da quadrilha. O líder do grupo informou que o produto era para consumo próprio, mas a polícia ainda irá averiguar se os medicamentos tinham relação com ações criminosas.