Política

14/04/2016 às 07h37

Metade dos partidos já orientou deputados a votar a favor do impeachment na Câmara

R7

Quatro dias antes de o plenário da Câmara dos Deputados votar o futuro da presidente Dilma Rousseff (PT), praticamente metade das bancadas dos partidos políticos com representação na Casa orientou seus parlamentares a optarem pela saída da petista.

As legendas que passaram a fazer parte dessa lista mais recentemente foram o PTB e o PSD, que anunciaram voto a favor do impeachment de Dilma na última quarta-feira (13). Nesta quinta-feira (14), PMDB e o PR deverão definir uma posição oficial para seus parlamentares

Existem 25 partidos políticos com representantes na Câmara dos Deputados. Até agora, as bancadas de 12 partidos políticos já disseram que seus deputados deverão votar a favor do impeachment. São eles: PSDB, PP, PSD, PSB, DEM, PRB, PTB, SD, PSC, PPS, PV e Rede. 

Juntos, esses partidos somam 237 parlamentares, mas é importante lembrar que existem dissidências em siglas que orientaram pelo voto contra o impeachment e ainda há os deputados indecisos – o que pode ampliar muito essa soma.

Por outro lado, quatro siglas já disseram que o norte para seus deputados é votar contra o impeachment. São elas: PT, PDT, PCdoB e PSOL. Juntos, esses quatro partidos somam 94 deputados e, assim como no caso da oposição, podem angariar mais votos até domingo por meio dos dissidentes e indecisos.

Existem outros nove partidos políticos que ainda não orientaram seus deputados sobre como votar: PMDB, PR, PTN, PHS, PROS, PTdoB, PSL, PEN e PMB.

No caso do PMDB e do PR, os maiores dessa lista, os líderes deverão deixar em aberto sobre como cada parlamentar deve votar. O líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ), adiantou que a bancada do partido, que tem 67deputados, está dividida.

Placar

Diante de tamanha disputa (voto a voto), governo e oposição usam os microfones para “bombar” sua própria contagem. Na última quarta-feira, por exemplo, o vice-líder do governo na Câmara, deputado Sílvio Costa (PTdoB-PE), garantiu ter 203 votos e assegurou que o impeachment não passa na Casa.

Por outro lado, a oposição chegou a contabilizar 340 votos a favor da saída de Dilma Rousseff – os cálculos, claro, são extraoficiais.

O jornal Folha de S.Paulo montou seu próprio placar e computou 308 votos a favor do impeachment e 117 contrários. Já o jornal O Estado de S.Paulo conseguiu contar 326 votos a favor da saída de Dilma e 125 contrários.

Para o processo de impeachment de Dilma Rousseff ser aprovado na Câmara, são necessários, ao menos, 342 votos a favor. Existem 513 deputados na Casa. Portanto, o governo luta nesses últimos quatro dias para chegar a 171 votos contrários à saída da petista.

 


Fonte: R7