Esportes

24/12/2015 às 08h30

Governo não irá disponibilizar ônibus para o Confiança Sub19 ir a Copinha

Confiança / ADC

A equipe Sub-19 do Confiança, que venceu o Campeonato Sergipano Sub-19 de 2015 e, consequentemente, se classificou para a Copa São Paulo de 2016, corre o risco de não poder participar da competição, que é, sem sombra de dúvida, a mais expressiva e importante competição para as categorias de Base de todos os clubes de futebol do país.

O problema é que a Diretoria de Base do clube teve o pedido da concessão de um ônibus para transportar os atletas do Sub-19 e a comissão técnica para São Paulo, negado pela Secretaria de Estado do Esporte e do Lazer.

“Em uma competição desta magnitude, os nossos jovens atletas não vão representar apenas a Associação Desportiva Confiança. Eles vão representar o Estado de Sergipe e o futebol sergipano. Além do custo com o ônibus, ainda temos que arcar com mais de R$ 10 mil de gastos com a ida da equipe para São Paulo. A Copa São Paulo é, simplesmente, a maior vitrine do País para o futebol de Base. Se isso não merece o apoio do poder público, e não é encarado pela Secretaria de Esporte e Lazer como algo importante para o futebol e o esporte sergipano, eu não sei nem mais o que pensar”, diz Fernando Andrade, diretor de base do Confiança.

O presidente do Confiança, Luiz Roberto Dantas de Santana, também está preocupado com a negação por parte do secretário estadual de esporte e lazer, Gilson Doria Leite Filho, o que terminou por complicar a situação do clube, e comprometer a participação do Confiança na competição.

“Após a negativa da concessão do ônibus pelo Governo do Estado de Sergipe, o Confiança encontra muita dificuldade para conseguir recursos e arcar com a despesa da viagem para São Paulo. Depois de três anos nos concedendo o transporte, a Secretaria Estadual de Esporte e Lazer simplesmente nos negou o ônibus. Nós da diretoria, juntamente com o Conselho Deliberativo do clube, estamos tentando solucionar a questão, mas com o clube ainda sem atividade rentável, e com os patrocínios em renovação, conseguir levantar esse valor ficou muito difícil, pois além do ônibus, temos uma despesa de mais de R$ 10 mil", argumenta o presidente.


Fonte: Confiança / ADC