Brasil

09/02/2016 às 12h00

Zika vírus se propaga 5 vezes mais rápido que a dengue

R7.com

O zika vírus se propaga cinco vez mais rápido que a dengue, segundo avaliação da Fiocruz (Fundação Osvaldo Cruz). A análise foi feita em decorrência do aumento do número de casos da doença e de microcefalia no interior do Estado de São Paulo. A informação foi publicada no site do jornal O Estado de S.Paulo desta terça-feira (9).

De acordo com a publicação, com base nos dados da fundação, o vice-presidente de pesquisa e laboratório, Rodrigo Stabile, ressaltou que a primeira epidemia da dengue, no Rio de Janeiro, levou cinco anos para atingir o Brasil.

— O vírus zika atingiu o mesmo patamar da dengue em menos de um ano.

Vacina

O laboratório francês Sanofi anunciou nesta terça-feira (9), que espera começar "em um ano" os testes clínicos relacionados a vacina contra o vírus zika. A expectativa é que esse produto esteja pronto em três anos, segundo o diretor-geral da empresa, Olivier Brandicourt.

A informação foi anunciada durante a apresentação dos resultados anuais da Sanofi. A farmacêutica espera reduzir os prazos habituais, aproveitando as tecnologias e a estrutura que já desenvolveram para a criação de vacina contra a dengue, a Dengvaxia. O vírus é da mesma família do zika.

Nesta segunda-feira (8), a OMS (Organização Mundial de Saúde) informou que pelo menos doze grupos de pesquisa estão trabalhando na criação de vacinas contra o zika vírus. Todos esses trabalhos, no entanto, estão nas fases iniciais e podem levar alguns anos para serem liberados. A OMS está selecionando pesquisas existentes na área para determinar quais devem ter prioridade.

A escolha desse grupo de pesquisas prioritárias será revisada por um comitê de assessores da entidade "o mais breve possível", segundo a OMS.
Os trabalhos com maior potencial são aqueles relacionados a outras doenças da mesma família dos flavivírus, como a dengue e a febre amarela. A OMS ainda lembrou que, na última semana, fez um chamamento às companhias interessadas em apresentar seus potenciais produtos farmacêuticos para serem avaliados e aprovados, caso tenham o nível exigido de qualidade.

 


Fonte: R7.com