Brasil

25/10/2015 às 09h14

Feminismo e globalização marcam o primeiro dia do Enem

Agência Brasil

O primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi marcado por questões sobre feminismo, globalização e meio ambiente.

A prova, que costuma trazer temas relacionados ao cotidiano e interpretação de texto, apresentou uma questão sobre igualdade de gênero na área de Ciências Humanas, com uma citação da filósofa e escritora francesa Simone de Beauvoir, que virou tema mais comentado pelos estudantes quando eles saíram da prova.

O exame também teve duas questões de globalização e cinco de meio ambiente, tema que permeou tanto a parte de Ciências Humanas quanto de Ciências da Natureza. A prova de química se destacou pelo seu grau de dificuldade, segundo os comentários dos participantes nas redes sociais.

As perguntas sobre globalização se referiram às teias globais de produção e à mecanização da mão-de-obra com o advento das tecnologias no final do século XX e início do século XXI, o que promoveu grandes mudanças no mercado de trabalho.

O egocentrismo e a selfie voltaram a figurar na prova com trecho de um texto do jornalista e sociólogo Muniz Sodré sobre o tema. O pensamento de Paulo Freire, questionado em várias manifestações contra o governo e a esquerda pelo país, também apareceu no teste.

Entre os assuntos envolvendo atualidades, foram abordados o Estado Islâmico, a crise hídrica e a ciberespionagem. As perguntas que exigem análise de imagens também são recorrentes na prova e costumam ser as mais comentadas. Nesta edição do Enem, uma charge do Ziraldo sobre os empréstimos internacionais feitos durante a ditadura militar e uma charge do Amarildo criticando o uso de agrotóxicos foram usadas.

Era Vargas

Em história, confirmando a importância da Era Vargas, os candidatos precisaram responder sobre conquistas sociais e o Estado Novo. Já sobre o período imperial, uma questão exibia imagens de Dom Pedro II após o golpe da maioridade para análise dos candidatos com base no contexto histórico, apontando se elas representavam um monarca absolutista, um jovem imaturo, um imperador adulto ou um líder guerreiro.

Os temas ambientais estiveram presentes no Enem, tanto em Ciências Humanas, com análise de charge e questões sobre geografia física, como em Ciências da Natureza, com perguntas sobre química verde, fontes renováveis de energia e recursos florestais.

Entre as questões que buscavam relacionar os assuntos das disciplinas a situações do cotidiano, também recorrentes na prova, se destacou a que perguntava por que não se deve comprar alimentos com lata amassada; a que abordava por que a soda cáustica é sólida mas, geralmente, fica com aspecto meio derretido após exposta por algum tempo ao ar; e uma que questionava por que é dificil abrir a porta da geladeira quando acabamos de fechá-la.

Primeiros socorros, circuitos elétricos e uma comparação entre uma câmara escura e o olho humano foram outros assuntos do cotidiano que apareceram no Enem.

Com equações complexas, a prova de Química chamou a atenção dos estudantes pelo seu grau de dificuldade. A poesia A Bomba, de Carlos Drummond de Andrade, foi utilizada para indagar qual a reação em cadeia da bomba atômica de urânio.

Já a prova de Física envolveu questões mais conceituais. Uma citou o Titanic e perguntou se a batida do navio em um iceberg poderia ter sido causada por um fenômeno óptico denominado Fata Morgana e qual princípio estaria envolvido: a ressonância, a refração, a reflexão, a difusão ou a difração.

Além do famoso naufrágio, o também conhecido atleta Usain Bolt, velocista olímpico jamaicano que já bateu diversos recordes mundiais, também foi citado na prova. A pergunta pedia para, a partir da relação entre o peso e a velocidade do velocista, calcular o trabalho total realizado por ele no momento de aceleração da prova de 100 metros livres.

Na prova de biologia, considerada mais fácil pelos participantes que comentaram após o exame nas redes sociais, as questões de genética foram maioria: quatro perguntas abordaram o tema. A vacina também foi focalizada em uma pergunta sobre por que existe vacina contra febre amarela e ainda não existe a de dengue.

Neste primeiro dia de realização das provas do Enem, os 7,7 milhões de inscritos tiveram 4 horas e 30 minutos para resolver as 90 questões de Ciências Humanas e suas tecnologias (história, geografia, sociologia e filosofia) e Ciências da Natureza e suas tecnologias (química, física e biologia).

Neste domingo (25), os candidatos terão 5 horas e 30 minutos para responder a 90 questões da prova de linguagens (língua portuguesa e língua estrangeira - inglês ou espanhol) e de matemática. Além disso, precisam fazer a prova de redação.

Os portões abrem às 12h fecham às 13h, no horário de Brasília, e as provas terão início às 13h30. O gabarito oficial do Enem 2015 será divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) até quarta-feira (28).


Fonte: Agência Brasil