Blog / Dicas e destinos

Dicas e destinos

Shislane Silva « página inicial do blog

Jornalista com especialização em Assessoria de Comunicação e Novas Tecnologias pela Universidade Tiradentes. Em 2011 fez intercâmbio na Omnicom School of Languages em Toronto (Canadá), tendo a oportunidade ainda de conhecer Quebec, Otawa e Montreal, fez estágios na área de comunicação no Sesc e Secretaria de Estado do Turismo. Foi repórter do Jornal Cinform, comandou por mais de dois anos a Assessoria de Comunicação da Empresa Municipal de Serviços Urbanos ( Emsurb) e atualmente integra o setor de comunicação da Secretaria Municipal do Planejamento, Orçamento e Gestão ( Seplog). O maior hobby é viajar e entre suas melhores experiências, estão ter conhecido em 2014 o Peru com as regiões de Lima, Cusco, Machu Picchu, Águas Calientes e Buenos Aires.

06/11/2015 às 09h15

A minha paixão por Morro de São Paulo e como bônus o Festival da Primavera

Foto: Shislane Silva

Imagino o encantamento dos colonizadores quando chegaram a esta ilha e encontraram tanta beleza natural e não é à toa, a exploração desenvolvida no lugar com a construção de igrejas, cemitérios, o farol, o porto, as ruínas e os canhões que demonstram o quanto Morro de São Paulo foi importante neste período.

Sempre ouvi falar muito bem da ilha, mas não imaginava que iria me encantar tanto! E como pensamento bom atrai coisas boas, me apresentaram uma oportunidade única de conhecer este paraíso. A Sergipe Viagens possui a experiência de mais de dez anos ao enviar visitantes até a região e organizou para o feriado de Finados a ida para o Festival da Primavera 2015. O custo para o grupo ficou na média de R$ 450 por pessoa, que incluiu ônibus de ida e volta, hospedagem, as taxas de embarque e entrada na cidade. De início fiquei preocupada por não conhecer ninguém da turma, no entanto, no percurso da viagem eu já estava interagindo com a galera. Então, já que fiz esse breve resumo de como surgiu a ideia de visitar o lugar, vamos agora para a melhor parte, ou seja, compartilhar o que vivenciei. Let´s GO!!

No dia viagem, o ponto de encontro foi o Teatro Tobias Barreto e a excursão seguiu viagem por volta das 21h. Como a estrada estava bem movimentada e foram realizadas duas paradas (Estância e Feira de Santana), chegamos em Valença por volta das 5h. Em Valença seguimos para o Canal de Taperoá, onde pegamos o barco com destino a Morro de São Paulo ( único meio de chegar até lá via mar ou aéreo). Para esta travessia a taxa é de R$1,00 e chegando na ilha a taxa de preservação ambiental é de R$ 15,00. A pessoa que tem interesse de ir até Morro sem excursão, pode pegar ônibus com destino para Feira de Santana e Valença ou Salvador (Terminal de São Joaquim via Ferry Boat) e ao chegar na Ilha de Itaparica com ônibus para Valença. Em dias normais o percurso do Ferry Boat é em média de 50 min e a viagem até Valença ficaria de 1h45min de ônibus.

Assim que desembarquei e com uma grande ansiedade de conhecer o paraíso, me deparo com um carrinho de mão amarelo com o nome “táxi”. Achei tão hilário a iniciativa de primeiro momento, mas depois entendi sua utilidade, já que Morro de São Paulo faz jus ao nome e imaginem chegar na pousada carregando malas subindo e descendo ladeiras? Para quem adere ao serviço o custo é de R$ 10 e confesso que vale e MUITO a pena!

Feito o check in na pousada Sampa no Morro (terceira praia) e com os pertences em seu devido lugar, procurei logo um passeio disponível. A sugestão que me veio foi de fazer o de “Volta da Ilha”. Saímos 10h e retornamos às 17h e o custo foi de R$ 80.  Ir para Morro de São Paulo e não fazer este passeio é como vir para Aracaju e não comer caranguejo, já que é um atrativo que visita vários locais e permite que o turista conheça as belezas naturais de modo mais intenso e aventureiro. Por meio de uma lancha é possível visitar piscinas naturais e realizar mergulho. A água é tão cristalina que até eu que não sou muito de banho de mar me joguei sem pensar duas vezes ( risos). Para almoçar, a sugestão do guia foi a famosa lagosta do Guido’s , localizado na praia da Cueira- Ilha de Boipeba. Sensacional!!!

Ainda nesta programação, visitamos um bar flutuante em que a opção de destaque é a degustação de ostras e coquetéis de frutas típicas. A cidade de Cairu foi a nossa última parada e para quem gosta de se aprofundar na história do Brasil nada melhor, que conferir este destino. A taxa para entrar na segunda cidade mais antiga do país é de R$ 10 reais. Como voltamos por volta das 17h, aceitei o convite de um casal de ir conhecer o famoso pôr do sol na Toca do Morcego ( Morro do Farol). Para quem não gosta de subir escadas é melhor nem ir! O caminho é longo, mas o esforço é recompensado com o pôr do sol visto do alto e com a vista do mar como presente.     

Festival da Primavera

Morro já é maravilhoso sem precisar de festas e quem conhece confirma isto. O evento acontece na segunda praia e para esta edição contou com as participações principais de Zeca Baleiro e Maria Rita, além da banda Negra Cor e a sensação do momento na Bahia a banda Baiana  System. Curtir o show de Maria Rita de pertinho e não tenho palavras para descrever tal sensação. Confesso que não resistir, mas tem muita gente que curte os shows e aguarda o nascer do sol para depois ir descansar . 

Estrangeiros

Durante o café da manhã ouvi o dono da pousada conversar com uns hóspedes em um idioma que eu não conseguia definir a origem.  Minha curiosidade me domina e assim que terminei meu desjejum fui questionar Marcos ( proprietário). Para minha imensa surpresa ele respondeu que se tratava de hebraico e que de tanto receber turistas israelenses aprendeu o idioma. “ Para se ter noção 95% do meu público que se hospeda aqui durante todo o ano são israelenses”, disse. 

Tirolesa

Acho chique coisas que se modernizam e optam pela praticidade kk...  O turista que ta com coragem de sobra e tem vontade de se jogar da tirolesa vai precisar desembolsar R$ 40 (opções de pagamento dinheiro, débito ou crédito). Para chegar no local é necessário subir aquela escadaria que citei de início. A adrenalina é fora do comum e o turista tem a garantia de segurança do início ao fim. Após se jogar os pertences da pessoa descem embalados em um plástico com o nome.

Onde comer?

Algumas pessoas que foram para Morro com o intuito de curtição, gastos com alimentação para elas eram o mínimo, por isso, a alternativa são os lanches em carrinhos que são facilmente encontrados nas praias. E para quem gosta de saborear pratos típicos em locais mais turísticos, nada melhor que na beira da praia degustar 

uma moqueca de siri e camarão do restaurante como o Sambass, levando como bônus som ao vivo. Me senti em Ibiza, pois nos cardápios informavam com destaque o modo de pagamento em Euro e Dólar. O real era mero detalhe ( risos).  Para quem adere a algo mais econômico como o tradicional “ PF”, atrás da pousada que fiquei hospedada (Sampa no Morro/ terceira praia), há um bistrô e outro restaurante simples com um cardápio bem diversificado e com preços em conta, principalmente para pratos individuais.   Os coquetéis servidos na fruta são característicos da ilha e o de Cacau é o carro chefe.

Passeio de Cavalo

Lembram dos israelenses? Olham eles novamente por aqui! Este passeio é pouco conhecido entre os visitantes e para quem tem tempo disponível e deseja algo diferente
esta é uma ótima sugestão! O custo é de R$ 80 com duração de 2h30. Fiz o passeio com o grupo de israelenses que estavam hospedados na mesma pousada que eu e foi bem divertido. O roteiro é pela mata fechada, passando por alguns povoados até a praia de Gamboa do alto. Como é um passeio feito no final da tarde o encantamento é ainda maior.  O clímax do roteiro é o Morro com vista para a cidade de Gamboa e a Fonte do Céu.

Morro de São Paulo é um lugar belíssimo e é uma excelente opção seja para quem vai em lua-de-mel ou para que deseja badalação. O meu saldo é mais que positivo sobre o lugar e no meu coração já existe uma frase estampada: Morro de Saudade já!

Imagens
Postado por Shislane Silva
Comentários