Blog / Adiberto Souza

Adiberto Souza

Adiberto de Souza tem mais de 35 anos de experiência profissional e atuou nas redações de todos os jornais de Aracaju, além de TVs e rádios sergipanos. Foi também correspondente do Jornal do Brasil em Sergipe e do jornal A Tarde (BA). Durante mais de 10 anos, foi editor de política do Jornal da Cidade, em Aracaju. Atualmente é editor e atua como assessor de comunicação.

« página inicial do blog
02/09/2016 às 10h43

Nas mãos de bandidos

Nas mãos de bandidos

Sergipe caminha rapidamente para virar uma terra sem lei, onde assaltantes pilham o cidadão, traficantes infestam as ruas de drogas e presos sentenciados mandam os comparsas tocarem o terror no estado, incendiando ônibus e ameaçando autoridades de morte. Enquanto isso, policiais militares e bombeiros fazem greve branca, agentes prisionais instigam os detentos, lhes negando o direito à visita íntima, e os delegados reclamam em nota pública contra os parcelamentos dos salários. Alegando falta de recursos para atender as justas reivindicações salariais dos servidores e contratar novos policiais, o governo faz como a avestruz, que enterra a cabeça no buraco ao primeiro sinal de perigo. Claro que a crise financeira é uma realidade em todo o país, mas os sergipanos já cansaram de ver o Executivo chorando o leite derramado, desculpando-se por não ter feito corretamente o dever de casa e procurando bodes expiatórios para culpá-los por sua incompetência. Decididamente, Sergipe não merece ser transformando numa terra de ninguém, onde vale mais quem possui maior poder de fogo. Lastimável!

 

Amor no cárcere

Após quase 15 dias sem direito a visita íntima, os inquilinos da Penitenciária de São Cristóvão terão, neste sábado, um dia de muito amor. Pelo menos foi o que determinou o desembargador Osório de Araújo Ramos. Conforme a decisão do magistrado, os agentes prisionais devem voltar imediatamente ao trabalho, permitir o acesso ao presídio das mulheres dos internos e retomar a escolta dos detentos para audiências. Caso a determinação não seja cumprida, o Sindicato dos Agentes será multado em R$ 5 mil ao dia. E agora?

 

Baços cruzados

E os servidores da saúde da Prefeitura de Aracaju prometem cruzar os braços a partir da próxima segunda-feira. Eles protestam porque o prefeito João Alves Filho (DEM) ainda não honrou o acordo feito para a categoria encerrar uma greve, que já durava 46 dias. De lá pra cá, a municipalidade não reajustou os salários em 4,42%, segue atrasando a folha de pessoal e recusa-se a repassar o vale transporte e a primeira parcela do 13º salário. Assim também já é demais!

 

Queixa na PF

O senador Eduardo Amorim (PSC) se queixou à Polícia Federal contra os manifestantes que o recepcionaram no aeroporto de Aracaju com gritos de “golpista” e uma chuva de ovos. O deputado federal Jony Marcos (PRB) também foi vítima dos jovens, que protestavam contra a aprovação do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Ao ser ouvido na PF, Amorim disse que “o manto da democracia não deve cobrir agressões praticadas por covardes”. Então, tá!

 

Agoniados

Alguns prefeitos do interior estão agoniados com a pressão feita por uma rádio interiorana. Segundo eles, quem não aceita pagar determinada quantia mensalmente, apanha mais do que pandeiro em samba. A emissora possui uma equipe de reportagem

somente para atacar os prefeitos que não aceitam a coação. O nome disso é imprensa marrom.

 

Bancos fechados

Os bancários entram em greve a partir da próxima terça-feira. A categoria exige reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, combate às metas abusivas, ao assédio moral e sexual, fim da terceirização. Embora estejam lucrando como nunca, os banqueiros oferecem apenas reajuste de 6,5% no salário e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil, além de participação nos lucros e resultados (PLR).

 

Batata no fogo

E o deputado federal André Moura (PSC), líder ficha suja deste governo temerário, segue com a batata assando. Enquanto o moço espalha em Sergipe ser mais importante em Brasília do que senador e governador, DEM, PSDB, PPS e parte do PMDB querem vê-lo pelas costas. Logo após a aprovação do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), estes partidos botaram mais lenha na fogueira para assar rapidamente a batata do arrogante Moura. Cruz credo!

 

Sem grana

Foi-se o tempo em que dinheiro era a mola mestra das campanhas eleitorais. Agora, em tempos de crise, os candidatos estão quase esmolando para continuarem na disputa. Maior exemplo dessa quebradeira é o prefeiturável João da Tarantela (PMN): “Não temos carros de som nem contratamos pessoal para divulgar nossas propostas nas ruas de Aracaju”. Dessa forma, não será fácil Tarantela melhorar seu desempenho nas pesquisas. Coitado!

 

Chá das cinco

E aí, você que é metido a intelectual, quantos livros dos imortais da Academia Sergipana de Letras enfeitam sua estante? De alguns é impossível encontrar qualquer obra nas melhores livrarias da cidade e do país. Será que as edições estão esgotadas? Aff Maria!

 

Recorte de jornal

 

Publicado no jornal Vida Laranjeirense, em 10 de agosto de 1930.

 

Resumo dos jornais

Postado por Adiberto Souza
Comentários