Blog / Adiberto Souza

Adiberto Souza

Adiberto de Souza tem mais de 35 anos de experiência profissional e atuou nas redações de todos os jornais de Aracaju, além de TVs e rádios sergipanos. Foi também correspondente do Jornal do Brasil em Sergipe e do jornal A Tarde (BA). Durante mais de 10 anos, foi editor de política do Jornal da Cidade, em Aracaju. Atualmente é editor e atua como assessor de comunicação.

« página inicial do blog
19/05/2016 às 08h31

PMDB isolado

PMDB isolado

Embora seja o partido do governo, o PMDB ainda não conseguiu atrair a simpatia das legendas aliadas para a pré-candidatura do peemedebista Zezinho Sobral a prefeito de Aracaju. PSD e PROS já caíram nos braços do pré-candidato Valadares Filho (PSB), enquanto a maioria do PT deseja apoiar o retorno de Edvaldo Nogueira à Prefeitura. Com pouca expressão política e desconhecido da maioria dos aracajuanos, Zezinho não empolga nem dentro do PMDB, onde há quem o ache muito pesado para ser carregado pelas ruas e vielas da capital. Estes também entendem que o governador Jackson  Barreto não transfere mais o volume de votos suficientes para eleger candidatos inexpressivos, como fez no passado. Ademais, JB padece do desgaste natural de um governo que atrasa salários, não cumpre as promessas feitas aos servidores e não paga em dia os fornecedores, sem contar que a saúde e a segurança pública estão falidas. Estas e outras mazelas do Executivo serão durante cobradas ao candidato do governador na campanha que se avizinha. Diante de tudo isso, por que Jackson insistir com Zezinho? Talvez, pela total falta de opção dentro do envelhecido e burocrático PMDB. Portanto, é provável que JB teime em manter o nome tirado do bolso do colete, mesmo sabendo que caminha a passos largos para uma monumental derrota eleitoral, que pode selar sua aposentadoria política.

Síndrome de Ademar

Simpatizantes do presidente biônico Michel Temerário (PMDB) têm um esdrúxulo argumento para justificar a escolha do deputado federal André Moura (PSC) como líder do governo na Câmara: “Não fosse ele, seria um ficha suja de outro estado. Ao menos ele é sergipano”. Este argumento patético lembra o bordão “rouba, mas faz”, repetindo pelos cabos eleitorais do ex-governador paulista Adhemar de Barros para neutralizar os adversários, que o acusavam de ser ladrão. Misericórdia!

Mão na roda

Com o título acima, o colunista Cláudio Humberto publica hoje a seguinte nota: “O ‘convite’ forçado do presidente Michel Temer para a liderança do governo na Câmara pavimenta de vez a candidatura do deputado André Moura (PSC) a governador de Sergipe, em 2018”. O articulista alagoano esquece que o parlamentar sergipano é ficha pra lá de encardida e, por já ter sido condenado em colegiado, está inelegível pelos próximos oito anos. A não ser que mudem a lei. Quem sabe?

Filho da terra

Antes de anunciar oficialmente a pré-candidatura a prefeito de Aracaju, o senador Eduardo Amorim (PSC) vai virar filho da capital. Para tanto, receberá amanhã o título de cidadão aracajuano, conferido pela Câmara graças à indicação do vereador Doutor Gonzaga, filiado ao PMDB de Jackson Barreto. Resta saber se o parlamentar peemedebista, que apóia a administração do prefeito João Alves Filho (DEM), será cabo eleitoral de Amorim. Aff, Maria!

Apoio dispensado

Veja o que publica hoje o Jornal da Cidade: “O governador Jackson Barreto (PMDB) reagiu com ironia ao discurso do vereador Vinicius Porto (DEM), de que petistas o humilham. ‘Agradeço a preocupação de Vinicius, mas não preciso não. Dispenso’. JB afirmou, ainda, conhecer essas estratégias e que não se sente humilhado por nenhum aliado. Segundo o governador, isso é bobagem de quem não tem coragem para dizer as coisas e fica colocando-as na boca de terceiros”. Então, tá!

Olho da rua

A Polícia Militar retirou famílias que, desde 2010, ocupavam uma área pertencente ao governo de Sergipe na Barra dos Coqueiros. Sem reação, os moradores dos dois loteamentos ilegais foram colocados no olho da rua por determinação judicial. Enquanto isso, magistrados, promotores, procuradores e conselheiros do Tribunal de Contas seguem recebendo o gordo auxílio moradia de R$ 4,3 mil. Êta Brasilzão sem jeito!

Pires nas mãos

Os governadores do Nordeste se reúnem hoje em Maceió (AL) para discutir a grave crise vivida pelos estados. Na conversa com auxiliares do governo tampão Michel Temerário, eles vão defender a renegociação das dívidas, a retomada de obras importantes para a região, uma melhor distribuição do bolo fiscal da União e rapidez no encaminhamento de ações para a superação da crise econômica do país. O governador Jackson Barreto (PMDB) se fará presente à choradeira.

Querem voltar

Com saudades da Assembleia, os deputados Augusto Bezerra (PHS) e Paulinho das Varzinhas (PTdoB) ingressaram na Justiça com o pedido de reconsideração cautelar. Os dois foram afastados das atividades parlamentares sob a acusação de estarem pressionando testemunhas do processo que apura os descaminhos das verbas de subvenção. O apelo de Bezerra e Paulinho, ambos já cassados pela Justiça Eleitoral, ser analisado pelo Pleno do Tribunal de Justiça. Até lá, eles não podem pisar nem na calçada no Legislativo. Cruz credo!

Não esqueça!

Você ainda lembra os nomes dos vereadores acusados pela Polícia e o Ministério Pública de terem se lambuzado com as verbas indenizatórias da Câmara de Aracaju? Pois aqui vai a relação: Agamenon Sobral, Adriano Taxista, Agnaldo Feitosa, Anderson de Tuca, Jailton Santana, Valdir Santos, Augusto do Japãozinho, Ivaldo José, Max Prejuízo, Daniela Fortes, Dr. Gonzaga, Emmanuel Nascimento, Pastor Roberto Moraes, Renilson Felix e Adelson Barreto Filho.

Crueldade

As tradicionais cavalgadas realizadas em Sergipe expõem a crueldade como os animais são tratados. Enquanto os participantes da festa de divertem, os cavalos passam todo o dia sem água, alimentação e descanso. Até éguas prenhas são massacradas por chibatas e afiadas esporas. Alguém precisa intervir contra isso para que as cavalgadas não fiquem cada dia mais assemelhadas à sangrenta e proibida farra do boi de Santa Catarina. Lastimável!

Ler é bom

A leitura é um hábito de 56% da população brasileira, segundo pesquisa divulgada pelo Instituto Pró-Livro. Entre os leitores, 42% disseram ter o hábito de ler a Bíblia. Em seguida, entre as leituras frequentes, aparecem os livros religiosos, os contos e os romances, com 22% da preferência do público. Os livros didáticos são habituais para 16% da população e os infantis, para 15%. Apesar de 77% dos leitores terem dito que gostariam de ter lido mais, 43% disse que não o fez por falta de tempo. Que pena!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano A Voz do Estudante, em 28 de julho de 1944.

Resumo dos jornais

Postado por Adiberto Souza
Comentários