Blog / Adiberto Souza

Adiberto Souza

Adiberto de Souza tem mais de 35 anos de experiência profissional e atuou nas redações de todos os jornais de Aracaju, além de TVs e rádios sergipanos. Foi também correspondente do Jornal do Brasil em Sergipe e do jornal A Tarde (BA). Durante mais de 10 anos, foi editor de política do Jornal da Cidade, em Aracaju. Atualmente é editor e atua como assessor de comunicação.

« página inicial do blog
17/05/2016 às 11h27

Saúde em frangalhos

Saúde em frangalhos

Nunca em toda a história de Aracaju a saúde municipal esteve tão abandonada quanto agora. Desde que assumiu a administração da cidade, o prefeito João Alves Filho (DEM) tem feito pouco caso deste setor tão importante para a população carente. Tanto isso é verdade que nos últimos três anos seis pessoas já dirigiram ou tentaram a Secretaria da Saúde. Todos bateram em retirada ao perceberem o desprezo do prefeito com a área, a falta de interesse em investir para melhorar a qualidade do atendimento, o desrespeito com os profissionais e o descaso como trata os hospitais, clínicas e laboratórios parceiros. Diante de tamanha calamidade, não se pode deixar de apoiar a nova greve deflagrada ontem pelos médicos, injuriados com a falta de palavras do gestor, que insiste em não atender as reivindicações da classe e melhorar a qualidade do serviço. Para se ter uma idéia do desdém como Alves Filho trata a categoria, tem uma médica de um posto de saúde, no bairro Santos Dumont, que leva de casa um ventilador porque não suporta o calor no consultório onde atende a população doente e esquecida por João Promessa. Lastimável!

Pros se define

Depois do PSD, agora foi a vez de o PROS anunciar apoio à pré-candidatura de Valadares Filho (PSB) a prefeito de Aracaju. A adesão significa mais tempo para a propaganda no rádio e na TV, Além da força de trabalho dos pré-candidatos a vereador pelo PROS. Satisfeito com o apoio do Partido Republicano da Ordem Social, Vavazinho anunciou que em breve outras legendas estarão se juntando ao seu projeto político.

Tudo como dantes

A cúpula do PT sergipano se apressou em desmentir que tenha desistido de apoiar o prefeiturável Zezinho Sobral (PMDB). Em nota, o partido diz que segue indefinido até junho e que não tomará qualquer decisão antes de ouvir o governador Jackson Barreto (PMDB). Não são poucos os petistas defensores de uma aliança com o PCdoB do prefeiturável Edvaldo Nogueira. Resta saber dos dois pré-candidatos, qual conquistará o apoio do desgastado PT.

Golpista

Não chamem para o mesmo palanque o deputado estadual Francisco Gualberto (PT) e o presidente biônico Michel Temerário (PMDB): “Não reconhecemos este roedor, que aplicou um golpe travestido de legalidade, que vem a ser o mais perverso e dissimulado”, reage o petista. Segundo Gualberto, “a medalha de ouro da república de Curitiba será prender Lula, pois para eles o golpe tem começo, meio e fim. Só não combinaram nada disso com o povo”, alerta. Misericórdia!

Pra ser político

Ser enganador, mentir

Enrolar, ser trambiqueiro

Gostar de fazer promessa

Não pagar, ser trapaceiro

Eis os requisitos básicos

Do político brasileiro.

A definição acima está no bem acabado cordel ‘Perfil do Político Brasileiro’ do poeta paraibano Vernaci Santos do Nascimento.

Reforma já!

E o deputado estadual Georgeo Passos (PTC) entende que o Brasil carece de uma reforma política-eleitoral aprofundada. O jovem parlamentar não economiza nas criticas ao jogo político de bastidores praticado no país há anos: “Nosso sistema eleitoral está falido”, discursa. Segundo Passos, ou o Brasil muda a forma de fazer política ou continuará tendo problemas graves. É vero!

Ditador copiado

O criticado presidencialismo de coalisão/cooptação foi a marca destacada do ministério do presidente tampão Michel Temer. Quem pensa assim é o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Cezar Britto. Segundo o causídico sergipano, “repetir a formação ministerial do ditador Geisel, décadas depois, pode ter sido mesmo a mudança mais notada, ainda que involutiva”. Cruz credo!

BRT paraguaio

Em artigo sobre o recente bloqueio do WhatsApp, o professor emérito da Universidade Federal de Sergipe, Odilon Cabral Machado, tirou a maior onda com o BRT paraguaio de João Alves Filho: “Se em nossa capital discute-se o BRT de cartolina, ou de purpurina, por melhor compatibilidade ao colorido sonho da realidade digital...”. E prossegue o mestre: “Porque se é possível com uma leve pintura de faixa azul criar uma linha dura por crime novo, mesmo que “Nullum crimen nulla poena si non lege...”. Aff, Maria!

Meu pai, pai!

Veja o que publica hoje em seu blog o jornalista Diógenes Brayner: “Rola em Brasília a notícia de que o conselheiro aposentado do TCE, Reinaldo Moura, deve assumir a Superintendência Regional da Codevasf. Substitui ao advogado Said Schoucair”. Reinaldo vem a ser pai do deputado federal e candidato a líder do governo na Câmara, André Moura (PSC).

Tá lembrado?

Quase não se fala mais sobre a grave denúncia de malversação da verba indenizatória da Câmara de Aracaju que, segundo a Polícia, teria sido garfada por 15 alegres vereadores. E o que dizer dos nossos 16 deputados estaduais cassados sob a acusação de fazerem mau uso das verbas de subvenção da Assembleia? Enquanto todos eles seguem flanando, ninguém trata mais destes assuntos. Até parece que neste país o crime é pra ser esquecido. Êta seu menino, que Brasilzão sem jeito!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano A República, em 15 de dezembro de 1946.

Resumo dos jornais

Postado por Adiberto Souza
Comentários