Blog / Adiberto Souza

Adiberto Souza

Adiberto de Souza tem mais de 35 anos de experiência profissional e atuou nas redações de todos os jornais de Aracaju, além de TVs e rádios sergipanos. Foi também correspondente do Jornal do Brasil em Sergipe e do jornal A Tarde (BA). Durante mais de 10 anos, foi editor de política do Jornal da Cidade, em Aracaju. Atualmente é editor e atua como assessor de comunicação.

« página inicial do blog
18/04/2016 às 07h46

Dia seguinte

Dia seguinte

O Brasil acordou nesta segunda-feira de ressaca política, após um domingo histórico em que a Câmara Federal aprovou a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A folgada maioria de votos, contudo, não permite à oposição cantar vitória antes do tempo. De hoje até a posição final dos senadores, muita água vai rolar por debaixo da ponte. Mesmo derrotados no primeiro rounds, os governistas não permanecerão de braços cruzados. Vão usar de todos os artifícios políticos, inclusive de golpes baixos, para dificultar o caminho a ser seguido pelo ainda vice-presidente Michel Temer (PMDB). Portanto, o impeachment passou na Câmara, mas os problemas do Brasil não acabaram, como muitos acreditavam que aconteceria no dia seguinte à votação. Agora, mais do que nunca, a classe política precisa ter muita cautela para recolocar o país nos trilhos. Não será uma tarefa fácil!

Derrotado

O governador Jackson Barreto (PMB), está entre os grandes derrotados na votação do impeachment da presidente Dilma. Ele não garantiu à aliada nem mesmo o voto de Fábio Reis, o único deputado federal do PMDB sergipano. Como os parlamentares de Sergipe foram os penúltimos a votar, quando Fábio foi declarar seu voto, a admissibilidade do impedimento já estava aprovada, permitindo a ele seguir a maioria e ficar bem com Michel Temer. Aliás, com o resultado da votação, Jackson corre, inclusive, o risco de perder o comando do PMDB em Sergipe.

Novo prefeito

Aracaju tem um novo prefeito desde sexta-feira passada. O vice José Carlos Machado (PSDB) substituiu o titular João Alves Filho (DEM), que tirou 15 dias de férias para tratar de um forte estresse. Segundo assessores próximos ao demista, ele tem tido dificuldades para dormir. Nestas duas semanas em que permanecerá à frente da Prefeitura, Machadão apenas tocará a administração do aliado.

Contra e a favor

Será que nas eleições municipais deste ano o eleitor levará em conta a posição dos prefeituráveis sobre o impeachment da presidente Dilma? Dos pré-candidatos a prefeito de Aracaju, Zezinho Sobral (PMDB) e Edvaldo Nogueira (PCdoB) se colocaram contra o impedimento da petista. São favoráveis ao afastamento de Dilma o senador Eduardo Amorim (PSC), o prefeito João Alves Filho (DEM) e o deputado federal Valadares Filho (PSB). Este último, inclusive, votou pelo impeachment.

Mínimo maior

O salário mínimo no próximo ano deve chegar a R$ 946. Este valor consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2017, enviado pelo governo ao Congresso Nacional. Pela proposta, o mínimo terá aumento de 7,5% a partir de 1º de janeiro. Desde 2011, o reajuste é feito com base na inflação do ano anterior, de acordo com o INPC mais a variação do PIB de dois anos antes. Esta fórmula valerá até 2019.

Em Sampa

Os conselheiros do Tribunal de Contas de Sergipe, presidente Clóvis Barbosa e ouvidor Carlos Pinna, estão em São Paulo. Foram participar do Congresso Internacional de Contas Públicas. Nesta segunda, Clóvis e os demais presidentes de TCE’s discutem sobre assuntos institucionais e de interesse comum ao sistema de controle externo brasileiro.

É golpe!

“As forças mais reacionárias do país venceram a primeira batalha, mas o partido buscará mobilizar a militância para não permitir que a democracia, conquistada pela luta e a vida de tantos patriotas, seja destruída”. Foi esta a posição do presidente nacional do PT, Rui Falcão, logo após a Câmara Federal ter aprovado o parecer favorável à abertura do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo Rui, “a infâmia e o golpismo feriram a democracia, rasgando a Constituição”.

Ibama muda

Veja o que publica o colega Diógenes Brayner em sua coluna Plenário: “Silvio Santos (PT) deixa a Presidência do Ibama em Sergipe, cargo para o qual fora nomeado pela cota do seu partido. Em seu lugar assume Genival Nunes, que foi secretário estadual do Meio Ambiente. A posse está marcada para esta segunda-feira”. Silvio Santos deixa o Ibama para assumir a Superintendência Regional do Trabalho em Sergipe.

Passando a limpo

A Comissão Estadual da Verdade volta a se reunir nesta segunda-feira para ouvir o depoimento de João Augusto Gama, atual secretário do Planejamento, Orçamento e Gestão de Sergipe. Amanhã, será ouvido Faustino Alves Menezes. Na quarta-feira, Chico Varela falará para a Comissão sobre tristes episódios registrados durante a sangrenta ditadura militar. Participe!

Caixa vazio

Está agendada para amanhã, uma reunião do governador Jackson Barreto (PMDB) com os presidentes do Tribunal de Justiça, Luiz Mendonça, da Assembleia, Luciano Bispo (PMDB), do Tribunal de Contas, Clóvis Barbosa, e o procurador-geral de Justiça, Roni Almeida. JB vai informá-los que o governo não dispõe de recursos para repassar, na quarta-feira (20), o duodécimo referente a abril, devendo fazê-lo de forma parcelada.

Que pindaíba!

Recorte de jornal

Publicado no Jornal do Aracaju, em 1º de outubro de 1873

 

Postado por Adiberto Souza
Comentários