Blog / Adiberto Souza

Adiberto Souza

Adiberto de Souza tem mais de 35 anos de experiência profissional e atuou nas redações de todos os jornais de Aracaju, além de TVs e rádios sergipanos. Foi também correspondente do Jornal do Brasil em Sergipe e do jornal A Tarde (BA). Durante mais de 10 anos, foi editor de política do Jornal da Cidade, em Aracaju. Atualmente é editor e atua como assessor de comunicação.

« página inicial do blog
16/03/2016 às 08h12

Capital do lixo

Capital do lixo

Aracaju chega à véspera de completar 161 anos sem qualquer motivo para comemorar tão importante data. A outrora cidade da qualidade de vida foi transformada na capital do lixo, tamanho o volume de detritos espalhados por suas ruas, praças e avenidas. A urbe fede! Mas não é só isso: a desbotada administração do prefeito João Alves Filho (DEM) não consegue tocar as poucas obras que iniciou, postos de saúde e hospitais municipais funcionam precariamente, a iluminação pública deixa a desejar - principalmente na periferia -, e o trânsito é uma bagunça. Para completar, a Prefeitura atrasa compromissos com fornecedores e enfrenta dificuldades para pagar o funcionalismo, pois a folha de pessoal está abarrotada de bem pagos cargos em comissão. Por tudo isso, João Alves Filho será lembrado pelos aracajuanos como o pior prefeito que a cidade já teve. Ressalte-se que, apesar de tanta desgraça, ele aumentou absurdamente o valor do IPTU, criou a taxa de iluminação pública e concedeu elevadíssimos reajustes à passagem dos ônibus velhos e fedorentos. Uma tragédia!

Estranho empenho

Qual o motivo de tanto empenho dos secretários municipais para que a Adema conceda logo a licença ambiental à Cavo? O correto não seria a Prefeitura ter exigido, durante a licitação para a coleta de lixo em Aracaju, que a empresa vencedora apresentasse documentação atestando ter condições de prestar o serviço? Alguém sabe como a Cavo se habilitou junto à Prefeitura sem a tal licença prévia? Estranho, muito estranho!

JB traído

Não chamem para o mesmo palanque o governador Jackson Barreto (PMDB) e o deputado estadual Robson Viana (PEN). JB não esconde a decepção com o parlamentar, acusado de convidar lideranças peemedebistas para se filiarem ao PEM visando apoiar a reeleição do prefeito João Alves Filho (DEM). “Estou muito chateado com este comportamento de quem sempre se disse meu amigo. Logo ele, me traindo?”. Segundo Jackson, a atitude de Robson desgastante, agressiva e desrespeitosa. Aff Maria!

PSD desfalcado

Depois do deputado estadual Gustinho Ribeiro, ontem foi a vez de o vereador aracajuano Ivaldo José deixar o PSD. “Sou da bancada do prefeito João Alves e não foi consultado quando o partido resolveu apoiar o prefeiturável Valadares Filho (PSB)”, explica Ivaldo. Ele ainda não escolheu a nova legenda. Já o ex-pessedista Gustinho, se filiou ontem ao PRP, partido que comandará em Sergipe.

BRT do Paraguai

Informado que as faixas azuis pintadas nas avenidas de Aracaju visam reservar parte das vias para a circulação dos ônibus articulados, que a Prefeitura tentou chamar de BRT, o vereador Emmanuel Nascimento (PT) saiu com essa: “Só se for BRT do Paraguai!”. O parlamentar explica que, diferente da faixinha azul e dos 10 coletivos sanfonados de segunda mão trazidos do Recife, o BRT verdadeiro possui, entre outras coisas, vias exclusivas protegidas por canaletas, estações de alimentação de passageiros com ar refrigerado e modernos ônibus.

SMTT explica

Desmascarada a farsa do BRT paraguaio, a SMTT se apressou em explicar que as faixas azuis visam transformar parte das avenidas em corredores para o BRS (Serviço Rápido de Ônibus). Segundo o superintendente da SMTT, Nelson Felipe, “em todos os locais onde vai ter BRT, primeiro se faz o BRS”. Então, tá!

Regabofe

Deputados estaduais da bancada governista jantaram ontem em Palácio. Foram conhecer os projetos que o Executivo enviará ao Legislativo visando ajustar as contas públicas. Segundo o governador Jackson Barreto (PMDB), o alongamento do prazo para os estados pagarem as dívidas com a União e o BNDES passa pela federalização de setores como saneamento e abastecimento energético. Os projetos a serem enviados para a Assembleia versarão justamente sobre isso. Esta informação é da coluna Plenário, do jornalista Diógenes Brayner.

Economia de guerra

Para terem direito de alongar as dívidas com a União e o BNDES, os governos estaduais precisarão cumprir pesadas contrapartidas. Terão que aprovar leis de responsabilidade fiscal, aumentar a alíquota da contribuição previdenciária dos servidores, instituir fundos de previdência complementar e registrar gastos com terceirizados. Os estados também ficarão impedidos de fazer novos empréstimos e vão ter de limitar o gasto com publicidade a 50% da média dos últimos três anos.

Omissão condenada

E senador Eduardo Amorim (PSC) voltou a cobrar melhoria dos serviços de saúde na área da oncologia: “Temos um aparelho de radioterapia do século passado, que quebra constantemente”. Segundo ele, as pessoas morrem porque ainda existem gestores irresponsáveis, insensíveis. “A omissão do Estado é a principal causa desse triste genocídio”. Cruz credo!

Dia de posse

A Câmara Municipal de Aracaju ganha hoje um novo parlamentar. O sargento PM Jorge Vieira (PR) toma posse no lugar do vereador Agnaldo Feitosa (PR), que se licenciou para assumir a Secretaria de Saúde da capital. Votado no pleito passado por 3.714 eleitores, Vieira se sente representante da família militar. Tão logo tome posse, o sargento vai para a reserva remunerada.

Doe sangue!

Os calouros da Faculdade Estácio de Sergipe participam nesta quarta-feira de um trote solidário. Daqui a pouco, eles vão doar sangue no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose). A ação visa integrar os alunos veteranos e os recém matriculados, com foco nas questões de responsabilidade social. Taí uma ação super legal!

Casa cheia

Hoje é dia de festa para o futebol sergipano: Confiança e Flamengo se enfrentam à noite no Batistão, em jogo válido pela Copa do Brasil. Para provocar a segunda partida com o Urubu, o Dragão do bairro Industrial precisa vencer, empatar ou perder pelo placar mínimo. Caso o Mengão ganhe por dois ou mais gols, elimina o segundo compromisso e fica com 60% da renda desta noite, que deve ser recorde.

Recorte de jornal

Publicado no aracajuano Diário da Tarde, em 30 de dezembro de 1937.

Resumo dos jornais

Postado por Adiberto Souza
Comentários