Blog / Adiberto Souza

Adiberto Souza

Adiberto de Souza tem mais de 35 anos de experiência profissional e atuou nas redações de todos os jornais de Aracaju, além de TVs e rádios sergipanos. Foi também correspondente do Jornal do Brasil em Sergipe e do jornal A Tarde (BA). Durante mais de 10 anos, foi editor de política do Jornal da Cidade, em Aracaju. Atualmente é editor e atua como assessor de comunicação.

« página inicial do blog
12/02/2016 às 07h59

Tampa da fossa

Tampa da fossa

O manguezal da Praia 13 de Julho e do Parque Tramandaí funciona, na verdade, como a tampa de uma grande fossa, criada por desleixo do poder público e ganância da iniciativa privada. Embora o bairro 13 de Julho possua esgotamento sanitário, ao longo dos anos a Prefeitura de Aracaju autorizou construções em seu entorno, sem exigir o devido tratamento dos dejetos humanos produzidos pelas novas e luxuosas moradias e casas comerciais. Resultado: as toneladas de excrementos lançadas nos rios Poxim e Sergipe poluem diariamente esses dois corpos d´água. Bem adubado, o frondoso manguezal dá a sua contribuição ao “mascarar” a sujeira e, consequentemente, o forte mau cheiro. Há quem garanta que se não existisse mangue no local para funcionar como a tampa da fossa, ninguém suportaria o forte odor que exala nos bairros 13 de Julho, Garcia e Jardins, onde estão os metros quadrados mais caros de Aracaju.

O povo paga

Enquanto o cidadão trabalha longos 35 anos para se aposentar com um ridículo salário mínimo, há políticos recebendo gordas aposentadorias por terem exercido apenas dois mandados de deputado estadual. A discutível mordomia é bancada pelo Instituto de Previdência do Legislativo do Estado de Sergipe (Iplese) que, em grande parte, é custeado com recursos públicos, ou seja, do contribuinte. Em tempo: O tal instituto é presidido pelo ex-deputado Zeca da Silva (PSC), condenado pela Justiça sob acusação de ter feito mau uso das verbas de subvenção da Assembleia. Pode?

Agonizando

O Rio Poxim, responsável pelo abastecimento de parte de Aracaju, está agonizando. É preciso que o governo estadual garanta políticas públicas de recuperação daquele importante corpo d’água. O Poxim está totalmente poluído. Na nascente o desmatamento é grande e nas margens há lixo por todos os lados. Uma lástima!

Imobilidade

O vereador Lucas Aribé (PSB) está preocupado com as calçadas de Aracaju. Segundo ele, obstáculos como hidrômetros dificultam a circulação dos pedestres. “A Prefeitura está investindo alto no programa Rodando no Macio para recapear as ruas e avenidas, mas ninguém fala em melhorar as calçadas para garantir o direito de ir e vir”, se queixa. E ainda alardeiam que Aracaju é destaque nacional em mobilidade urbana. Que lorota!

Fogo na Câmara

São fortes as suspeitas que o incêndio da Câmara Municipal de Cristinápolis foi criminoso. É que a porta do Legislativo foi arrombada e o fogo começou justo na sala onde estava a documentação sobre a CPI contra o prefeito padre Raimundo (PCdoB). Aliás, a votação do impeachement do comunista está marcada para hoje. Os vereadores da oposição prometem fazer a votação em praça pública. Vai pegar fogo!

Apoio de fora

Dependendo do peso político e do voto da presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, a candidatura de Edvaldo Nogueira a prefeito de Aracaju está asseguradíssima. Segundo a moça, o comunista foi um prefeito que fez muito pela capital, “merecendo todo o crédito da população”. Resta saber se Nogueira encontrará este mesmo apoio dos partidos aliados para concretizar sua candidatura.

Emendando

E o deputado federal João Daniel (PT) apresentou duas emendas à Medida Provisória que intensifica o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da Zika, dengue e febre Chikungunya. O parlamentar propõe que o valor do salário-maternidade seja aumentado em 40% para mães de bebês com microcefalia. A outra emenda prega a ampliação para seis meses do período de licença-maternidade para mães dos nascidos com a enfermidade.

Força tarefa

O governo federal promove neste sábado, o Dia Nacional de Mobilização para o Combate ao Aedes aegypti. A ideia é mobilizar as famílias no combate ao mosquito transmissor do Zika, dengue e chikungunya. A presidente Dilma Rousseff (PT) determinou o deslocamento de seus ministros a vários estados visando participar da mobilização. Para Aracaju foi escalado o ministro da Cultura, Juca Ferreira.

Punhalada

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe está acusando o governo Jackson Barreto (PMDB) de aplicar uma punhalada nos professores aposentados. Segundo a entidade, aqueles com vencimento inicial menor que o valor do piso de 2016 passarão a receber R$2.135,64. No entanto, o aposentado com formação em níveis médio e superior não terá o vencimento reajustado. O sindicato lembra que quem recebe acima do piso está sem reajuste desde 2012. É, só Jesus na causa!

E o servidor, ó!

Está evidente que o governo de Sergipe não prioriza o funcionalismo. Além do mais, deixou de enxugar a máquina, promessa feita no começo de 2015. Caso os salários encabeçassem a lista de prioridades, o primeiro compromisso do Executivo seria reservar 48% da receita visando pagar a folha de pessoal para, só depois, se preocupar em dividir entre os demais credores os 52% dos recursos restantes.

Recorte de jornal

Publicado no Diário de Aracaju, em 30 de março de 1915.

Resumo dos jornais

Postado por Adiberto Souza
Comentários