Blog / Adiberto Souza

Adiberto Souza

Adiberto de Souza tem mais de 35 anos de experiência profissional e atuou nas redações de todos os jornais de Aracaju, além de TVs e rádios sergipanos. Foi também correspondente do Jornal do Brasil em Sergipe e do jornal A Tarde (BA). Durante mais de 10 anos, foi editor de política do Jornal da Cidade, em Aracaju. Atualmente é editor e atua como assessor de comunicação.

« página inicial do blog
19/01/2016 às 08h30

Caso pra estudo

Caso pra estudo

Para a maioria dos eleitores é difícil entender o que leva uma pessoa a gastar alguns milhões e até arranjar inimizades para se eleger prefeito, assumir o comando de uma administração tida como quase falida. É possível acreditar que políticos experientes desejam se sacrificar, trocar a vida boa do parlamento ou de outras “aspones” para se dedicar aos inúmeros problemas do povo pobre? Aracaju pode ser um bom exemplo desse “altruísmo” de quase uma dezena de pré-candidatos. Ora, o que há por baixo do angu para justificar essa briga de foice pelo direito de disputar a cadeira do prefeito João Alves Filho (DEM)? E o próprio demista, por que deseja concorrer à reeleição, se não consegue nem pagar em dia a folha de pessoal? Talvez, um estudo científico mostre que os interessados em comandar a prefeitura da capital querem mesmo é usá-la como degrau para um salto mais alto, transformando o eleitorado em moeda de troca para as “negociações” políticas que farão quando 2018 chegar. Os problemas financeiros da prefeitura e o abandono da cidade, quando muito, servirão de lastro para os inflamados discursos de campanha.

Estouro da boiada

A disputa pela prefeitura de Aracaju entre os governistas ganhou contorno de rinha de galo. Bastou o minúsculo PSD anunciar apoio ao prefeiturável Valadares Filho (PSB) para os outros partidos abrirem o berreiro. Pelo andar da carruagem, se o governador Jackson Barreto (PMDB) não chamar logo o feito à ordem, a boiada vai estourar. A não ser que esta seja justamente a vontade do experiente JB. Homem, será?

Vavá reage

“É um desserviço ao povo de Aracaju antecipar um debate sobre governo e Senado, que só deverá ocorrer em 2018”. Quem pensa assim é o senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Segundo o líder pessedista, não passam de boataria as afirmações de que ele será candidato a governador em 2018. Também nega que o PSD levou isso em consideração ao decidir apoiar o prefeiturável Valadares Filho (PSB). “A pré-candidatura de Valadares Filho deve ser encarada como uma alternativa legítima dos que querem mudar Aracaju”, afirma o senador.

Comércio sujo

Você eleitor que repete Que todo político é ladrão, Mas vende ou troca o voto A cada nova eleição, Você é igualzinho a eles Não vale nem um tostão. Não sei quem é mais safado Nessa tal corrupção, Se o eleitor iludido Ou o político ladrão, Que vende e compra voto Nos tempos de eleição. O cordel acima é da lavra da poetisa cearense Dalinha Catunda.

Gabola

Com o título acima, o Jornal da Cidade publica hoje a seguinte nota: “Em Brasília, ninguém deu muita atenção à declaração do deputado federal André Moura (PSC), de que teria sido convidado para ingressar no partido. Os sergipanos que circulam por lá dizem que Moura estava apenas se gabando. Falam ainda que não entenderam a repentina vontade que André teve de fazer parte do PMDB, e talvez até do governo Jackson Barreto, líder da sigla em Sergipe. Nem o governador nem a cúpula do partido deram muita bola pro falatório...”. Então, tá!

Faca amolada

E os comissionados do Tribunal de Contas de Sergipe estão morrendo de medo da caneta do presidente Clóvis Barbosa. E não é pra menos: de uma canetada só, ele exonerou 65 CCs e devolveu outros servidores aos seus órgãos de origem, inclusive policiais militares. E olhe que os comissionados não farão falta, pois são em número muito exagerado no Tribunal. Para se ter uma idéia, só o gabinete da presidência do TCE aboletava 101 comissionados. Aff Maria!

Violência assusta

Quem anda muito preocupado com a violência em Sergipe é o procurador-geral de Justiça, Rony Almeida. Ontem, ele reuniu os delegados de Polícia para buscar alternativas visando reduzir o exagerado número de homicídios no estado. “Nem na guerra se mata tanta gente quanto em Sergipe”, afirma. Tomara que outros setores de sociedade sergipana também se envolvam nessa discussão em favor da vida.

Mãos ao alto

Quer ser assaltado? Pois tome um ônibus dos que circulam na Grande Aracaju. Somente nos primeiros 18 dias deste ano os bandidos já assaltaram 114 coletivos. Diante desta lastimável rotina, muitos motoristas e cobradores estão abandonando a profissão. Segundo o sindicato da categoria, 70% das rescisões contratuais têm como principal motivo o medo do profissional de ser assaltado novamente. Alguém aí sabe cadê a Polícia?

Tá de rosca

E a Prefeitura de Aracaju adiou, mais uma vez, a abertura dos envelopes para a licitação do lixo. O motivo foi um questionamento feito pela empresa Torre contra um item do edital que, segundo alega, fere a lei das licitações públicas. Em setembro passado, a Prefeitura já havia cancelado a mesma concorrência sob o argumento que “houve necessidade de realizar algumas adequações técnicas no edital”.

Engasgado

O governador Jackson Barreto ainda não digeriu as agressões verbais feitas contra ele e sua terra, Santa Rosa de Lima, pelo carnavalesco César Viana, irmão do deputado estadual Robson Viana (PMDB). O moço escreveu cobras e lagartos no Facebook, deixando Jackson muito irritado. O governador explicou ter sido este o motivo que o impediu de participar, sábado último, da feijoada do bloco Rasgadinho, coordenado pelos irmãos Viana. Segundo a assessoria de JB, as afirmações de César foram indelicadas e mal educadas, além de terem ofendido o povo de Santa Rosa de Lima. Tá certíssimo!

Na parede

Com salários, férias e gratificações atrasadas, os profissionais de saúde botaram na parede o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM). Encurralado com a ameaça de uma greve geral da categoria, o demista se viu obrigado a receber os “amotinados” e prometer pagar integralmente amanhã, a folha do mês passado. Também garantiu quitar, até o final deste mês, as férias referentes a dezembro e a gratificação de desempenho dos médicos. Aguardemos, portanto!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Folha de Sergipe, em 26 de março de 1908.

Resumo dos jornais

Postado por Adiberto Souza
Comentários